Nota Pública # 6 – Solidariedade aos jornalistas do The Intercept Brasil

03.08.2019

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns vem a público prestar solidariedade ao site informativo The Intercept Brasil e seu fundador, o jornalista norte-americano Glenn Greenwald.

Ao trazer à tona elementos sobre a Operação Lava-Jato e suas conexões com o ex-juiz Sergio Moro, a equipe liderada por Greenwald cumpre um dever profissional: possibilitar que a opinião pública tenha acesso a informações não só graves, como de interesse nacional.

No entanto, declarações do Exmo. Sr. Presidente da República em relação ao trabalho do site e, em particular, ao seu fundador – alvo de ameaças de prisão, projetos de deportação e comentários de caráter homofóbico, com ofensas a ele e a sua família – demonstram a intenção do atual governo de constranger a atividade jornalística pelo cerceamento do direito à livre expressão e pela quebra do sigilo da fonte, atropelando prerrogativas profissionais que estão sob a guarda da Constituição Federal.

Hoje, ao denunciar o clima de intimidação contra Glenn Greenwald e sua equipe a Comissão Arns junta-se às vozes democráticas que, mais uma vez no Brasil, erguem-se para lembrar que não há convivência possível entre jornalismo e autoritarismo.

Defendemos uma imprensa livre, cidadã, que não voltará a ser silenciada.