A morte de um Guardião da Floresta

Manuela Carneiro da Cunha

04.11.2019

No dia 1º de novembro, indígenas Guajajara da Terra Indígena Arariboia, no Maranhão, que continuamente monitoram invasões em seu território, os chamados “Guardiões da Floresta”, foram surpreendidos em uma emboscada por madeireiros armados. Paulo Paulino Guajajara morreu, outro indígena, Laércio Souza Silva, ficou ferido, e um madeireiro está desaparecido.

Este episódio lamentável podia acontecer a qualquer momento, acrescentando-se à onda de violência contra índios, seus territórios e seus recursos. A violência vinha crescendo, mas, já nos primeiros nove meses de 2019, ultrapassou em muito as ocorrências do ano anterior. Enquanto, em todo o ano de 2018, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) contabilizou 111 casos de invasão ou de exploração ilegal de recursos em 76 terras indígenas diferentes, nos primeiros nove meses de 2019 essas invasões foram mais de 160 e atingiram 153 terras indígenas.

A violência não é nova. O que é novo é o beneplácito que os infratores percebem no discurso anti-indígena e nos atos do governo. Os órgãos de fiscalização ambiental e de proteção constitucional aos povos indígenas estão sem possibilidade de atuar com eficácia. Grileiros, madeireiros e garimpeiros estão se sentindo protegidos.

A Terra Indígena (TI) Arariboia, onde ocorreu a emboscada dos madeireiros, é de posse exclusiva dos Guajajara mas também de Awá-Guajá isolados. Os Guajá da TI Arariboia são um desses grupos em isolamento voluntário, que fogem de qualquer contato, após amargas experiências iniciais no sul do Pará. São caçadores coletores não porque, como às vezes se imagina, não “tivessem alcançado o estágio da agricultura”, e sim porque preferiram abandoná-la e viver dos recursos da floresta.

A Terra Indígena Arariboia é particularmente vulnerável, totalmente cercada por ramais e pela cobiça madeireira. Uma parte dos Guajajara da TI Arariboia se organizou para proteger a floresta e os Awá-Guajá que nela moram. São os Guardiões da Floresta.

O filme Os donos da Floresta em perigo, que é excelente, conta um pouco dessa história.

Foto: Mídia Índia/ISA