"Temos de transformar o luto em luta" - JOSÉ CARLOS DIAS, presidente da Comissão Arns

José Carlos Dias recebe prêmio e relembra Heleny Guariba

4 Abr 2022, 11:57 hguariba.jpg

O ex-ministro da Justiça e presidente da Comissão Arns, José Carlos Dias, recebeu, na noite de 28 de março, o troféu Dom Quixote, o Perseguidor da Utopia, como parte das atividades que celebram os 25 anos do Teatro Studio Heleny Guariba, na Praça Roosevelt, centro de São Paulo. O teatro, ícone cultural da cidade, é também um ponto de convergência de gerações ligadas às artes cênicas.

“Eu me sinto honrado e comovido por receber este prêmio, ainda mais no teatro que celebra a memória de uma querida amiga e cliente, Heleny Guariba”, disse Dias, ressaltando uma coincidência histórica. Em 1970, com o país sob ditadura militar, Dias atuou como advogado de Heleny. Presa e levada primeiramente ao Presídio Tiradentes, na capital paulista, meses depois ela seria capturada pela Operação Bandeirantes (Oban), para ser torturada e aniquilada na famigerada Casa da Morte, em Petrópolis. Tinha 30 anos, dois filhos pequenos e uma carreira já reconhecida como professora e diretora de teatro.

Formada pela Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP), Heleny Guariba estudou teatro na Alemanha e na França, deu cursos de dramaturgia no Teatro de Arena, ao lado de Augusto Boal, enfrentou a ditadura como militante da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e, quando se preparava para viver fora do país, em 1971, foi levada para Petrópolis para ser torturada e morta. Passou a integrar a lista dos desaparecidos políticos do país. Seu corpo jamais foi encontrado, mas seu martírio pôde ser relatado às autoridades por uma vítima da Casa da Morte, a sobrevivente Inês Etienne Romeu.

Outra personalidade homenageada com o troféu Dom Quixote, no marco dos 25 anos do teatro, foi a ex-prefeita de São Paulo e deputada federal Luiza Erundina. Márcio Aurélio e Pascoal da Conceição, dramaturgos, e a atriz Ana Maria Amaral também receberam o prêmio. Reconhecido como um espaço de resistência cultural, o teatro da Praça Roosevelt é dirigido desde 1997 pela atriz Dulce Muniz, ex-aluna e amiga de Heleny.

Foto: Wikipedia