"Meu povo tem o direito de viver em paz e em boa saúde, porque ele vive em sua própria casa" Davi Kopenawa, liderança Yanomami

NP #54 – Pela apuração do assassinato de liderança do MST

16 Dez 2022, 9:24 cacheado2D Foto: Arquivo pessoal

A Comissão Arns se solidariza com os familiares e amigos do líder sem terra Raimundo Nonato Silva Oliveira, assassinado brutalmente na cidade de Araguatins (TO), na madrugada de terça-feira (13/12). E, ao mesmo tempo, expressa a sua profunda indignação diante de um crime que precisa ser investigado com todo rigor e rapidez.

Raimundo, conhecido como Cacheado, era militante do MST, com anos de atuação em defesa das lutas populares. Em outras ocasiões, escapou de emboscadas patrocinadas por fazendeiros e grileiros da região do Bico do Papagaio. Mas, nesta terça, não resistiu ao ataque de homens encapuzados, que entraram em sua casa para matá-lo com tiros no rosto, enquanto ele dormia ao lado da companheira.

O Brasil coleciona índice vergonhoso de assassinatos no campo, num quadro de violência estrutural. Crimes cujos mandantes, na maioria dos casos, têm contado com investigações que terminam por lhes garantir a impunidade. E é justamente esta impunidade que alimenta o ciclo perpétuo e perverso das violações.

Pela elucidação completa deste crime e a devida responsabilização dos seus autores, a Comissão Arns informa que oficiou as autoridades competentes e passa a acompanhar o desenrolar das investigações, até que se faça JUSTIÇA.